Fotos e histórias - Parte II - Itália

Itália... terra da pasta, da vida ao ar livre...

Desta vez só estive em Roma... mas foi ÓTIMO.

Antes de partir para as fotos quero dizer que TODOS devem ter cuidado lá... não com assaltos, mas com a "esperteza" de alguns italianos...
Quando chegamos em Termini, estação de trem principal de Roma havia um sujeito meio que impedindo de irmos para a estação de metro (que seria o caminho mais curto para o hotel) e gritando "uscita, uscita" (saída)... Bom, saímos.... Perguntei (com o meu italiano à "Terra Nostra") em que rua estávamos... ele disse "qual o seu hotel?".... já não gostei da resposta... falei o nome e, como não era nenhum dos conhecidos ele me pediu o endereço... ai entregou a um taxista... mas PARA TUDO... eu tinha visto que era super perto, do metro eram menos de 0,6 km... não é possível que eu precise pegar um taxi.... O taxista olha e fala "são 27 euros".... o que???? acho que o cara tinha bebido umas... não é possível... O cara me botando medo "o hotel é uns 4 km daqui... eu mostrava o mapa e perguntava "Dove?" e apontava o mapa e ele respondia mostrando que era depois do mapa.... Pera ae.... tem o trilho do trem... não era possível que estivéssemos tão longe... se o lance fosse moderno teria no máximo duas plataformas, mas mesmo assim eu estaria a "um trem" de distância e não kms.... Resolvemos ir a pé... e não é que estavamos mesmo do lado do hotel???


Exibir mapa ampliado


Já pensou ter gasto 27 euros??? Outra foi que eu ia pagar alguma coisa de 4 euros e dei uma nota de 20.... o cara me deu 6 de troco... eu fiquei parada, olhando... e o cara como se não tivesse que me dar nada.... e ai eu falei "Dove resto?" e ele falou "Mio errore"... errou nada, queria era passar a perna hehehehehe

Bom, mas isso em NADA apaga toda a beleza, magia e tudo de bom que é roma.... Pra aproveitar tudo isso comprei o Roma Pass. Paguei 23 euros e tive direito a 3 dias de metro e ônibus e entrada para 2 atrações (dica: se você for no mesmo dia no Coliseu e Palatino usa uma entrada só - mesmo passando o cartão nos dois lugares - e da direito ao Anfiteatro Flavio + Palatino + Museu Palatino + Casa di Augusto).

Agora, chega de blá blá blá e vamos as fotos... (para aumentar basta clicar)

O Arco de Constantino fica ao lado do Coliseu. Foi construído para comemorar a vitória de Constantino sobre Maxêncio na Batalha da Ponte Mílvioem 312 AD.


O Coliseu (também conhecido como Anfiteatro Flávio), quem nunca foi TEM QUE IR.... Foi emocionante o Parthenon, mas a diferença é que no Coliseu você pode entrar... você está pisando no lugar... passando a mão na história que tanto estudamos na época da escola. Acho que todo mundo sabe que o Coliseu era na verdade o instrumento de propaganda e difusão da filosofia do Império Romano. Eles acreditavam ser possível controlar a população com a política do "Pane et circensis"(pão e circo)... desta forma, com comida e diversão o povo estaria contido e aceitaria o Império. O Coliseu era o palco onde corridas de Bigas (aquelas "carroças" que vemos em filmes), lutas entre gladiadores e animais eram a diversão dos romanos. foi construído entre os anos de 70DC - 80DC e inaugurado por Tito. Foi usado por 500 anos, mesmo após a queda do império Romano. E, como dizia o monge e historiador inglês Beda: "Enquanto o Coliseu se mantiver de pé, Roma permanecerá; quando o Coliseu ruir, Roma ruirá e quando Roma cair, o mundo cairá".




O monte Palatino é uma das sete colinas de Roma. De um lado está o Fórum Romano (centro comercial de Roma), e do outro, o Circo Máximo. O nome tem origem de Pale, que é o Deus dos Pastores. O lugar já havia sido habitado na idade do ferro e tem as ruínas mais antigas de Roma.






O Arco de Tito foi construído em 81DC comemoração a conquista de Jerusalém. Esta conquista levou ao início da destruição do Templo de Jerusalém, e a considerada como uma das profecias de Jesus Cristo. Os judeus, de Roma ou de qualquer lugar, nunca passaram embaixo do Arco de Tito, até 1948, quando o Estado de Israel foi fundado. Nesta ocasião os judeus de Roma fizeram uma grande parada e passaram embaixo do arco, comemorando a reconquista de sua terra e sua sobrevivência ao Império Romano.


Praça Navona segue a forma dos estádios da Roma Antiga. Só virou uma praça por volta do século XV quando as fontes foram instaladas. A primeira fonte se chama Fonte del Moro, a segunda fonte de Netuno e no centro dela existe a Fonte dos quatro rios.



O Panteão (ou Panteão de Agripa), construído em 27 a.C. é o único monumento greco-romano que permanece em ótimo estado de conservação. Na verdade ele é um templo dedicado a todos os Deuses romanos (pan -todo e théos deus). A partir do século VII começou a ser usado como templo cristão. Na verdade, o que há hoje em Roma não é o original. O primeiro foi destruído por um incêndio e reconstruído em 125 d.C. A idéia da construção do Panteão foi do Imperador Adriano que viajava muito pelo império e queria mostrar neste gesto ecumênico sua admiração por todas as culturas, inclusive sua admiração pelos Gregos e mostrar que tinha respeito pela crença dos povos conquistados e que não adotavam os deuses romanos. A estrutura do teto é algo espetacular. Muitos cálculos tiveram que ser feitos pois é uma estrutura abobadada em um vão livre de dimensões absurdas. Os alvéolos, além de adorarem a estrutura foram utilizados para que menos material precisasse ser utilizado, aliviando as tensões da construção. Da base até a abertura central onde a luz entra são 43 metros de altura. Esta é a mesma medida do raio do circulo da base. O que significa que a estrutura inscreve-se no interior de um cubo imaginário. Muito da conservação do prédio deve-se ao fato de ter tornado-se igreja, porém as estatuas foram totalmente descaracterizadas para imagem de santos ou tiveram seu mármore usado para outras finalidades. A partir do renascimento começou a ser usado como cemitério das personalidades italianas, como Vitor Emanuel II e Humberto I. O curioso é que, mesmo a Itália sendo uma republica, membros voluntários de organizações monárquicas continuam mantendo guarda aos túmulos reais.





Fontana di Trevi. Acho que depois do Coliseu e da Praça de São Pedro é o lugar que todos no mundo conhecem. Uma curiosidade é que a fonte foi mudada de lugar! Ela se encontrava no cruzamento de três estradas (tre vie), marcando o ponto final do Acqua Vergine, um dos mais antigos aquedutos que abasteciam a cidade de Roma. No ano 19 a.C., supostamente ajudados por uma virgem, técnicos romanos localizaram uma fonte de água pura a pouco mais de 22 quilômetros da cidade (cena representada em escultura na própria fonte, atualmente). A água desta fonte foi levada pelo menor aqueduto de Roma e serviu a cidade por mais de 400 anos. Durante a idade média, após as invasões dos Godos em Roma, os romanos tinham que abastecer-se da água de poços poluídos, e da pouco límpida água do rio Tibre, que também recebia os esgotos da cidade.O antigo costume romano de erguer uma bela fonte ao final de um aqueduto que conduzia a água para a cidade voltou século XV, com a Renascença. Bernini reposicionou a fonte para o outro lado da praça a fim de que esta ficasse defronte ao Palácio do Quirinal (assim o Papa poderia vê-la e admirá-la de sua janela).



Antes de começar mais um grande texto (duvido que alguém ainda esteja lendo mas... hehehe)... Quando vi essa cena eu PRECISEI tirar uma foto.... olhem bem... um casal bem apaixonada, literalmente se enrolando um no outro, no meio do dia, no meio da praça.... no banco ao lado, um casal, provavelmente muçulmano olhando (mas fingindo que não estavam) e com um olhar de... (será de indignação ou de inveja?)

A foto acima e as duas próximas foram tiradas na Piazza del Popolo (Praça do Povo). A igreja de Santa Maria del Popolo, ao lado da porta, foi erigida no século XI no local onde Nero morreu e foi sepultado. Entre 1655 e 1660, o Papa Alexandre VII decidiu restaurar a igreja. Para isso encarregou Giano Lorenzo Bernini. A igreja acolhe obras de Caravaggio, a Conversão de São Paulo e a Crucificação de São Pedro, e vários afrescos de Pinturicchio . Em 1589 Sisto V adorna a praça com um grande obelisco, o obelisco Flaminio de 24 metros, construído no templo dos faraós Ramsés II e Mineptah (1232-1220 a.C.), levado para Roma por Augusto e anteriormente colocado no Circo Máximo. Lá também existem duas "igrejas gêmeas", como são chamadas Santa Maria in Montesanto (1675) e Santa Maria dei Miracoli (1678) por serem simétricas. Hoje em dia a Praça é uma ampla zona de pedestres e local de eventos públicos e manifestações.



Piazza di Spagna é o local de encontro dos romanos e dos turistas (tinha mais turista que romano hahahaha). No alto das escadarias esta a igreja Trinita dei Monti e no seu centro uma fonte em forma de barca que é chamada pelos Romanos de "banheira". A forma é em homenagem a época em que o Tibre transbordou e levou um barco até o local.



O Castelo de Santo Ângelo ("Castel Sant' Angelo") é também conhecido como Mausoléu de Adriano (pois foi o imperador Adriano que queria criar tumbas para sua família). Foi terminado em 139 d.C, porém pouco tempo depois passou a ser utilizado para fins militares. Em 590d.C. o Papa Gregório I afirmou ter visto o Arcanjo Miguel, anunciando o final de uma epidemia, por isso, a estatua. Durante o século XIX foi utilizado como prisão na época dos movimentos de unificação Italiana.





Esta é a famosa Praça de São Pedro, no Vaticano. Foi desenhada por Bernini no século XVII. Aqui existe mais um obelisco furtado do Egito... eu tenho quase certeza que é o maior de todos, 40 metros de altura e foi trazido no século I d.C. Diz a lenda que colocaram na base pedaços originais da cruz de Jesus Cristo. Foram necessário mais de 900 homens para ergue-la. Eu vi um documentário no Discovery sobre como os historiadores e engenheiros acreditam que ela foi trazida e depois colocada na Itália, uma vez que é uma peça única, não poderia ser dividia e depois remontada. A praça conta com 140 estátuas - santos e mártires, papas e fundadores de ordens religiosas - saúdam os peregrinos da balaustrada das colunas, que tem 17 metros de largura. O brasão e as inscrições evocam o Papa Alexandre VII, que encomendou a obra.



A Capela Sistina encontra-se no Palácio Apostólico, residência oficial do Papa na Cidade do Vaticano. Era um projeto relativamente simples e destinado ao culto particular dos papas e outros eclesiastas. Além do "pequeno" detalhe de ter sido pintada, entre outros artistas, por Michelangelo (responsável pela "Criação de Adão") ela também é famosa por lá é que ocorrem os conclaves (eleição do novo Papa).



E pra terminar, e não perder o costume... a "comidinha"... bem.. aqui está a verdadeira Pizza Italiana.... li muuuito sobre o Dar Poeta... foi difícil de achar... mas valeu muito a pena... A minha pizza (do meio) era de mussarela de búfala e outros queijos... a da esquerda era bem diferente... a pizza apenas com a massa eram assados e depois, a mussarela de búfala colocada gelada... e da direita só meu irmão mesmo pra pedir.. com carne de porco e batata.... Ah, e claro.. pra terminar com chave de ouro Calzone de Nutella. Marco, o dono, estava no balcão com seu notebook... hahaha uma comédia...



Bom, é isso... não sei se alguém vai chegar até o fim mas PELO MENOS COMENTEM AS FOTOS!!! Hehehe...