Praia

Bom, acho que esse e o ultimo post antes de ir pra praia... entao quero dizer pra quem fica se cuida.. trick, celsinho, dani (da maua) , hugo, carlos e jr... cada um de seu modo e cada um vai entender o se cuida...

Vai ser bem legal ir pra praia.. tres dias longe de casa com os meus dois melhores amigos.. vamos conversar bastante e eu terie bastante tempo pra pensar sobre a minha vida.. sobre minhas escolhas daqui pra frente sobre que rumo tudo vai levar, minha vida amorosa, facu, e tudo mais... vou conhecer o dani (de israel) e ver se dou uma ajuda pra ele apresentando o Ale... quem sabe os dois nao ficam amigos pq ta sendo muito duro pra ele ficar sozinho aqui no Brasil... meu, sem facu ou nada onde vc seja obrigado a ir e dificil conhecer pessoas.. e sair sozinho pra balada nao rola.. como o Ale mora la em santos se os dois ficasse amigos seria bem legal.... tenho q arrumar a mala ainda.. pensar que horas vou acordar.. (se bem que tava pensando em ja deixar tudo meio que pronto e so botar a roupa e ir buscar o Ale no metro).

O Fe nem ligou... acho q nao rolou mesmo com o pai dele... foda viu... acho q em, 50 % das familias ou o pai ou a mae acabam ferrando a vida dos filhos... e a outra parte acho que nem ta ai....

Hahahaha, fiquei meio puta pq comentei no site da Lolla praticamente o que escrevi no outro post aqui (sobre homens e seco e talz) e eles acharam q eu sou a do tipo q faz joguinho hahahaha, e foda tem gente que nao conhece e que vai tirando conclusoes... acho que eu to sofrendo desse problema tb.. acho q conheco as pessoas mas to percebendo que as unicas pessoas que conheco sao.... ahn, bem, eu... acho q so me conheco.. e mesmo assim tenho feito coisas ultimamente fora do padrao taty de ser.. sera que ta valendo a pena... as vezes tenho certeza que sim.. as vezes certeza que nao...

Agora o que eu tenho percebi e uma tendencia a ser adivinho de varias pessoas... nao foi uma pessoa ou duas e sim varias que ficam dizendo.. ah, eu sei o que via acontrecer, eu sei que e assim ou assado... porra meu.... como as pessoas podem ter tanta certeza...acho q ninguem ta na minha cabeca.. e so acho que duas pessoas no mundo tem o poder de saber exatamente o que eu farei por me conhecerem muito bem, o Noam e a minha Analista.... e mesmo eles ficam chocados com certas coisas... imagina quem me conhece a um ano... nao sabe nada mesmo de mim... acho que as pessoas tem me dado menos valor do que eu mereco (isso nao e indireta pra ninguem)....

Lolla

Meu, esse blog e muito bom.. na verdade nao e o blog e sim quem escreve.. nossa me identifiquei muito com ela.. so q eu faco eng e ela letras hehehehe

O melhor foi o post dela de ontem:

"Materia de sexo na revista NOVA (so podia...), afirma que entre os 16 e os 25 anos, a mulher transa em media (em media!!!) 500 vezes.

...

(Lolla enfiando-se debaixo da mesa do computador, de vergonha)

Ou eu dou um jeito de transar desvairadamente nos proximos 5 anos, ou vou ser aquele triste fator que faz a media ser media, puxando-a pra baixo. No meu caso, beeeeeeem pra baixo.

Perala. e evidente que a NOVA nao e padrao pra ninguem. Se fosse, todas as mulheres acordariam pela manha com rimel e batom de longa duracao, todas teriam pernas de um metro e meio (isso eu quase tenho, eeeee), todas elas seriam executivas poderosas de dia e putas ninfomaniacas de noite, todas usariam laque ate pra tomar banho de piscina e nao existiria nas lojas o produto que toda mulher ama mas diz que odeia: calcolas enormes de algodao antialergico.

Ah, e claro -todas as mulheres trepariam 500 vezes na adolescencia.

Meninas do meu Brasil, isso e verdade? "

hahha, la fui eu depois e ler isso fazer as contas hahahaha meu, da uma media de uma vez por semana... o que nao e muito se vc estiver namorando ou se for uma puta de plantao.... o probelma e que os homens nao ajudam a meta a ser atingida...

1o-se vc transa no 1o encontro vc e dificil

2o-se vc quer mais do que ele assusta a pessoa

30-ficar com o cara dos 16 aos 25 e impossivel.. homens sao EXTREMAMENTE voluveis

E mais um detalhe.. ridiculo ter media de quantas vezes e.. foi o que comentaram la.. se vc faz menos de 500 e uma mal comida.. se faz mais e puta... ou seja... se vc estiver na rua q varias minas de 25 anos estiverem quernedo vc nao sera pelos seus lindos olhos e sim pra chegar na media HA HA HA

Meu cabelo

Bom, estou pensando seriamente e fazer uma revolucao no meu cabelo.... 1o quero fazer aquele negocio que ta na moda de mudar a estrutura dos fios.. chega de escova... eles mudam a queratina do seu cabelo e ele fica lisinho lisinho que nem de japones.. e vc so precisa ir retocar a cada 6 meses.... o problema e que e muito cara.. pior ainda pra cabelo longo que nem o meu.. entao se rolar de vender a casa vou fazer isso no meu cabelo, trocar o carro e querer uma cama maior que a minha, de preferencia de casal ou um pouquinho maior (a minha atual tem 2 x 1,20) pro ap novo.. mais ai, com o cabelo liso liso eu quero inovar um pouco mais e pintar de um jeito bem legal... pensei em mechas mas ja ta muito batido, pensei em pintar so as pontas mas tb nao e minha cara... e ai tava num site e acabei vendo uma foto da Cristina Aguilera e pronto... decidi que e asim que eu vou fazer.. toda a parte de baixo, perto da nuca vermelho e o resto preto... no caso dela essa parte de cima loira.. mas nem ferrando eu pinto meu cabelo de loiro... hehehehe

Ah, e eu tb recebi uma coisa ontem que me fez morrer de rir... foi por icq... acho q foi o dins que mandou nao lembro.. eu sie que depois que eu li a reportagem da folha (que ta no post anterior) eu reconheci a mina e ri mais ainda.. e so clicar pra ver maior!



eu faco QUESTaO

Ei, vc HOMEM, leitor do meu blog... faco questao que voces leiam tudo o que segue aqui... quem sabe nao aprendem mais sobre o que tem em casa!!!

Detalhe que eu comentei a uns posts atras sobre sotaque hahahaha

Saiu na revista da folha de hoje

Sotaque gostoso

Brasileira entra com a sensualidade e estrangeiro com a sinceridade: no jogo multinacional da conquista, sobram fantasias dos dois lados.

Jeitinho da brasileira mexe com a imaginacao dos estrangeiros, que aqui desembarcam cheios de esperanca

A mistura que da samba


[por Roberto de Oliveira]

Imagine uma terra povoada por mulheres lindas, sensuais e absolutamente disponiveis, onde os forasteiros sao recebidos com sorrisos imensos e saias minusculas. Mais do que isso, sao tratados a pao-de-lo e disputados a tapa.

Essa visao estrangeira do Brasil como um paraiso masculino ganhou reforco extra durante a Copa, com torcedoras "canarinho" posando seminuas para cameras do mundo inteiro. Foi mais uma pincelada na manjada imagem de "Brasil, terra de mulheres", tao arraigada no exterior quanto o futebol da selecao brasileira.

Na edicao de junho, mesmo mes da Copa, a revista norte-americana "Men's Journal" (567 mil exemplares) trazia na capa uma chamada reveladora: "Guia do Solteiro no Brasil, onde as mulheres cacam os homens". Ao lado, uma morena de corpao reluzente, biquini e camiseta top, joga os cabelos molhados numa "manha de segunda-feira" na praia de Ipanema.

Jason Harper, autor do texto, mora no Rio desde dezembro passado e esta deslumbrado com a facilidade da paquera: as mulheres se aproximam, diz ele, olham nos olhos, alisam seu braco e ate beliscam sua bunda. O reporter foi "checar" se o fenomeno era carioca e diz ter observado o mesmo comportamento feminino em Sao Paulo e Belo Horizonte.

"Nao existe necessidade nem lugar para vergonha no Brasil", escreve Harper, acrescentando que, alem de disputado como mercadoria, o "produto estrangeiro" e mais valorizado. "Americanos sao raros em Sao Paulo, por isso sempre comeco a noite falando ingles." Funciona, diz, como uma senha para ser abordado.

Antes de jogar de vez o texto na lixeira dos "cliches sobre o Brasil", a Revista foi a campo e entrevistou estrangeiros, mulheres e alguns especialistas em comportamento. Os depoimentos mostram que, fascinacao puritana a parte, o feitico estrangeiro funciona mesmo -e dos dois lados.

Se eles gostam da "abordagem facil", elas adoram a "seriedade" deles. "O gringo e mais romantico e nao se interessa por baladas de uma noite so", acredita a estudante de psicologia Verena Prado, 19, que apesar da pouca idade, pode ser considerada "expert" no assunto. Em dois anos na Europa, namorou quatro ingleses, quatro italianos, dois sul-africanos e um australiano. Hoje, esta solteira e sonha casar-se com um italiano.

Verena nao economiza elogios: "Eles honram a palavra. Se pegam o seu telefone, ligam. Sao carinhosos e dizem tudo que voce quer ouvir. e por isso que a mulherada da em cima". Ela acha que os brasileiros so se importam com o corpo da mulher. "Estava 13 kg mais gorda na Europa e isso nao era um problema. Aqui, ate a minha mae mandou eu emagrecer", diz.

Mesmo os concorrentes nacionais admitem a forca do sotaque. O gerente de restaurante Felipe Arruga, 25, conta que resolveu atacar de estrangeiro numa praia no Nordeste, em 1997. "Eu estava com amigos italianos, mas so conversava em ingles. Atrai mesmo: a primeira coisa que elas querem saber e de onde voce e. Como nao pareco brasileiro, dizia que era da California. Foi uma festa", conta.

Mesmo em Sao Paulo, segundo Felipe, as pessoas sao mais acessiveis a "gente de fora". "Entre uma mesa com turistas e outra com brasileiros, a primeira faz mais sucesso", acredita.

Alo, estranho Nao ha duvida de que nossa sociedade e mais aberta a presenca do "estranho", avalia a antropologa Maria Luiza Heilborn, 47, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. E tambem a sua influencia: a imagem da brasileira sensual que integra o imaginario estrangeiro, diz a antropologa, nao e uma obra inteiramente "made in" algum lugar la fora, mas uma concepcao introjetada e alimentada pelos proprios brasileiros. "Quando encontram um estrangeiro, as brasileiras comecam, as vezes inconscientemente, a agir como eles esperam. Reforcam o mito", diz Maria Luiza.

O psicanalista Contardo Calligaris, 54, italiano casado com uma brasileira, lembra que esse Brasil descrito na revista norte-americana ja era um sonho dos europeus antes da chegada de Cabral.

"O extraordinario nao e que mais um marinheiro tenha se encantado com as gracas das indias que sua fantasia inventou. A sociologia brasileira entendeu muito cedo que, no destino do Brasil, pesa muito o fato de o pais ser, inicialmente, um sonho europeu erotico e sensual", contextualiza Calligaris.

Sensual, porem, nao significa sexual. "As brasileiras sao menos reservadas, mas isso nao significa sexo garantido", ressalva Maria Luiza.

Casado com um brasileira e ha quatro anos no Brasil, o norte-americano Jon Lewis Fraser, 38, concorda.

"Os americanos sao conservadores, morrem de medo do proprio corpo, e nao conseguem entender que uma roupa ousada ou um toque nao significam que a garota esta disposta a ir para a cama com voce. Mas eu entendo, tambem passei por isso no comeco", diz.

"Abracei a minha irma duas vezes na vida. Aqui, na segunda vez em que voce encontra um amigo, ja esta beijando e abracando", brinca o consultor de marketing canadense Perry Aulie, 37, ha dois anos em Sao Paulo. Para quem e de fora, diz ele, e natural sexualizar essa relacao, mas, aos poucos, se percebe que o brasileiro em geral -e nao so a mulher-tende a intensificar suas relacoes de amor ou amizade.

O frances Michel Joseph, 50, que ja morou em 20 paises, explica: "Na Franca, dependendo do olhar, voce pode ser tachado de pervertido e levar um safanao de uma mulher. Aqui as mulheres gostam de ser elogiadas. E e impossivel nao olhar: em nenhum lugar do mundo, elas se preocupam tanto com o corpo".

A opiniao e compartilhada pelo empresario italiano Damian Canevari, 35, para quem "o Rio de Janeiro e a maior academia a ceu aberto do mundo". Alem da propria Italia, para onde viaja a cada dois meses, Damian morou na Argentina, Mexico, EUA, China, Franca e Kuait. No Brasil, divide seu tempo entre Sao Paulo, Rio e Angra dos Reis.

"Quando cheguei, fiquei maluco com tanta mulher. Em todas as esferas sociais ha mulher bonita, de corpo bem feito. Meus amigos vem ao Rio a cada quatro meses, acham o paraiso. Na Italia, correm atras das mulheres; aqui, e o inverso. Eles adoram", conta.

Polos de atracao O fascinio, pelo visto, e reciproco. "Os estrangeiros agradam porque, na interpretacao das brasileiras, sao homens capazes de sustentar a palavra. Eles representam um plano, um projeto de vida, por isso sao tao cortejados", acredita o psicanalista argentino Alberto Goldin, 60, que mora ha 25 anos no Rio.

Goldin conhece muitas mulheres que so namoram estrangeiros, porque se decepcionaram com os brasileiros. "Elas dizem que, se transarem na primeira noite, sao descartadas como 'mulher facil'; se nao transarem, sao consideradas caretas, e o cara cai fora", conta.

O problema e que o Brasil tem mulher em excesso, na opiniao da empresaria Mariana Peronne, 32, casada ha um ano com um frances. Numericamente, ela tem mesmo razao. Desde a decada de 60, a populacao feminina vem crescendo mais que a masculina. Hoje, "sobram" 2,6 milhoes de mulheres no pais -e as tres capitais visitadas pelo reporter americano concentram a maior parte desse excedente.



Juntas, Sao Paulo, Rio e Belo Horizonte sao responsaveis por 36,5% do total de mulheres a mais (veja quadro na pag. 11); se considerados os Estados a que pertencem, esse percentual sobe para 48%. E, segundo as previsoes estatisticas, a diferenca deve continuar se acirrando nas proximas decadas. No ritmo atual, em menos de 50 anos as mulheres brasileiras serao 8 milhoes a mais, calcula o IBGE.

Em terra de escassez, quem tem sotaque e rei. "O estrangeiro atrai pela diferenca, e ela nao e so fisica. Logo no primeiro contato, eles se revelam mais educados", diz a advogada Daniela Schneider Pulcini, 28, que ha um ano vive com o canadense Perry Aulie.

Mariana Peronne tem opiniao parecida. "e dificil encontrar um cara legal. Os melhores sao gays ou 'galinhas'. Quando aparece alguem que vale a pena, todas querem pegar", conta.

A impressao feminina pode ser essa, mas nao faz sentido, explica o psicanalista Francisco Daudt da Veiga, 54. "Qualquer lugar do mundo tem homem de todos os tipos: mulherengo, sensivel, canalha, delicado, cafajeste e compreensivo. As mazelas nao sao exclusividade do brasileiro", afirma.

Para o psicanalista, a suposta diferenca entre brasileiros e estrangeiros e mais ou menos como a cauda exuberante que leva a femea a escolher um pavao. "O que a brasileira procura e uma razao digna e coerente para legitimar sua preferencia, para justificar o sonho do principe encantado que vem resgata-la e leva-la ao castelo", argumenta Daudt.

E e de sonhos que as Americas sao feitas, diz o tambem italiano Contardo Calligaris. "Todos os paises americanos (norte e sul), por serem produtos de migracoes, sao frutos dos sonhos e das fantasias de felicidade de quem migrou. e inevitavel, portanto, que esses paises funcionem facilmente como telas de cinema, em que cada um projeta suas fantasias. Acontece com o Brasil e acontece com os EUA."

O psicanalista provoca: "O artigo da 'Men's Journal' nos obriga a perguntar: o que ha de errado com as mulheres americanas que leva um jornalista (e seus leitores, eventualmente) a sonhar com indias faceis e lascivas, como um moleque?"

Colaborou Adriana Cardillo