Farc tramavam um "11 de Setembro" colombiano

BOGOTa --As Forcas Armadas Revolucionarias da Colombia (Farc), o maior e mais antigo grupo guerrilheiro da America Latina, planejavam um ataque suicida contra a sede da Presidencia da Republica ou do Congresso colombianos, nos mesmos moldes dos atentados ocorridos em 11 de setembro nos Estados Unidos.

A revelacao foi feita nesta quarta-feira pelo Departamento Administrativo de Seguranca (DAS), a policia secreta colombiana.

"Conseguimos detectar um plano no qual iriam sequestrar um aviao em um aeroporto -estava determinado que seria o de Bogota ou o de Barranquilla -, para atentar contra o Capitolio Nacional ou a Casa de Narino (sede da Presidencia", informou o diretor do DAS, coronel Gustavo Jaramillo.

Segundo Jaramillo, o plano foi abortado apos a prisao de seu suposto mentor, Javier Enrique Carvajalino, irmao de Jesus Emilio Carvajalino, um dos lideres das Farc e negociador do grupo rebelde no fracassado dialogo com o Governo.

Assim que foi detido, Javier negou sua responsabilidade no plano denunciado pela policia secreta. Sua missao, de acordo com Jaramillo, seria contratar um piloto suicida e pagar-lhe dois milhoes de dolares para executar o ataque.

O diretor do DAS acrescentou que os extremistas iam contratar um piloto que transportava drogas para o extinto cartel das drogas de Medellin. As investigacoes indicaram que o ataque aconteceria no ultimo sabado, dia em que o Congresso inaugurou a sessao legislativa, ou em 7 de agosto proximo, quando o presidente eleito, Alvaro Uribe, tomara posse.

As autoridades militares e policiais encontram-se em estado de alerta maximo ha mais de um mes, devido a relatos dos servicos secretos quanto a possibilidade de as Farc perpetrarem um ataque similar aos de 11 de setembro.

Avioes de combate da Forca Aerea Colombiana patrulham desde junho o espaco aereo de Bogota, enquanto que seu comandante, o general Hector Fabio Velasco, avisou que qualquer aeronave ilegal e suspeita sera derrubada.

Em junho, autoridades da aviacao detectaram pelo menos dois voos clandestinos nas proximidades de Bogota e admitiram a possibilidade de um ataque das Farc.