Viva o desapego!!!

Ontem tava assistindo Norma e teve uma cena engraçada... quando ela pede ajuda pros espectadores, uma disse: “você tem que fazer a Buda, praticar o desapego”.... e é isso que eu tenho que começar a fazer.... praticar o desapego das coisas que deixarei para trás quando for morar no Canadá e, principalmente e mais difícil dos amigos, da filha... Tava xeretando o Orkut de grandes amigos que não falo a muito tempo.. e não é que me bateu ciúmes de ver que eles tem novos “melhores” amigos hehehehe... mas eu tb tenho... e passou rápido.. mas que o ciúmes veio, ele veio...
É engraçado como temos esse sentimento de posse em relação as pessoas... e eu fico mais chocada quando eu me vejo tendo essas reações... pq aprendi desde cedo, quando meu pai morreu, que a vida continua, com a nossa presença ou sem.... e isso é uma coisa bizarra pra se pensar quando estamos vivos...

Pq ok, no dia em que eu morrer não estarei aqui pra ver... mas sei lá.. acho que quando mudamos de cidade, pais e talz tem um pouco disso... vc se torna meio que turista, e não deve deixar de passar na cabeça das pessoas “será que teria espaço na vida das pessoas pra mim”... isso eu penso em relação ao meu pai... nossa vida mudou tanto, eu mudei tanto... claro que daria tudo pra que ele estivesse aqui mas, nessa situação de vida atual, onde eu o colocaria? É uma coisa muito maluca e só quem perdeu alguém próximo deve entender...

Mas fico pensando nisso.. e lembro de um monte de filme que, quando o filho sai de casa os pais transformam o quarto em academia, em sala do computador, atelier e coisas do tipo... acho que quando cortamos de forma tão incisiva os laços, seja por uma briga, seja por mudar de pais e tal, é difícil termos o mesmo espaço na vida das pessoas...

Claro que a mãe será sempre mãe, mas você passa a ser visita.... acho que acontece isso quando as pessoas casam... mas como eu continuo morando com minha mãe e meu irmão não passei por isso...

Voltando ao tema inicial, praticar o desapego... acho que por isso quero estar tão bem comigo mesma... pq, no fundo, no final.... no fim mesmo, só temos a nós mesmo... por mais que tenhamos mega amigos, família, irmão, cachorra... temos só a nós... pode ser triste pensar assim, não estou dizendo que não devemos dar valor a essas pessoas, muito pelo contrario, o que estou dizendo é que devemos viver bem conosco para viver bem com essas pessoas....

Tava lendo tb a Dani e lembrei do meu quarto... quando nos mudamos da casa onde morávamos pra um apartamento, eu deixei um quarto de uns 18 metros quadrados para um de 9... mas até a véspera da mudança eu não tinha arrumado nada... parecia que eu ia ficar lá, pq não tinha tirado nada do lugar.... Ai eu fui no mercado, peguei VINTE caixas de papelão e lotei tudo... não joguei nada fora... isso foram a 6 anos atrás.... até julho deste ano ainda tinham caixas debaixo da minha cama...

Como eu não tinha coragem de jogar tudo fora, dei carta branca pra minha mãe fazer o trabalho sujo, durante minhas férias na Europa ela deu um rapa lá, jogou quase tudo fora... separou o que interessava...

Eu sei, fui fraca em não conseguir arrumar, mas pelo menos tive coragem de deixar ela fazer.... acho que mais uma coisa boa dessa mudança pro Canadá será fazer as minhas coisas caberem em 96 kg de mala.... e mesmo na 1ª vez não indo em definitivo não quero deixar nada pra trás.... o que eu não levar vou dar, vender....

Vamos lá... vou lançar a campanha VIVA O DESAPEGO!!!!

Pq no final, o que temos é:

- Nossa saúde / corpo
- Nossas lembranças
- Nosso conhecimento

O resto? Damos um jeito!!!!

Para pensar um pouco...
A Sabedoria do Desapego

- Bom é agir e bom é abster-se da atividade; tanto isto como aquilo conduz à meta suprema. Mas, para o principiante, melhor é agir corretamente.

- O reino da quietude que os sábios conquistam pela meditação é também conquistado pelos que praticam ações; sábio é aquele que compreende que essas duas coisas – a consciência mística e a ação prática – são uma só em sua essência.

- Difícil tarefa, herói, é alcançar o estado de renúncia sem ação e sem que o espírito da fé penetre o coração. O sábio que, pela força da verdade, renuncia a si mesmo, integra-se em Brahman.

- Esse é puro de coração, forte no bem e senhor de todos os seus sentidos; a sua vida está a serviço da vida de todos, e ele realiza todas as ações sem ser escravizado por nenhuma delas.
Quem tudo faz sem apego ao resultado dos seus atos faz tudo no espírito, e, como a flor de lótus, incontaminada pelo lago em que vive, permanece isento do mal.

- Quem a tudo renuncia, jubiloso, alcança, já agora, a mais alta paz do espírito; mas quem espera vantagem das suas obras é escravizado pelos seus desejos.

- Quem preserva sua alma livre de todas as coisas que vêm de fora realiza o seu verdadeiro EU, atinge a Paz Profunda, a beatitude do verdadeiro ser.

- As alegrias que brotam do mundo dos sentidos encerram germes de futuras tristezas; vêm e vão; por isso, ó príncipe, não é nelas que o sábio busca a sua felicidade.

- Ele sabe, que EU SOU a Essência em todas as Existências; eu, o Imanifesto em todos os Manifestos: eu, a suprema e imutável Realidade em todos os mundos em incessante mutação; eu, refúgio e proteção de todas as criaturas. Quem isto sabe, encontrou a paz...

Bhagavad Gita.

8 comentários

PriX disse...

É, o desapego é uma forma de se desligar da emoção que as coisas/pessoas te trazem. E aceitar outra emoção, sensação: a saudade. Quando me casei tive que aceitar que minha cama, que era só minha não seia mais aquela, que eu não poderia levar todas as minhas coisas pra casa nova, afinal eu saí de uma casa grande (mas com pouco espaço, pq meu pai ainda não entendeu essa de desapego) pra ir pra um "apertamento".
Mas a sensação de se desligar de certas memórias é boa, Taty, ajuda a ter espaço no "hd" pra mais coisas novas!

Beijinhos!

Carol disse...

no fundo, no final de tudo, fim mesmo, somos todos ilhas. ao longo da vida construimos pontes que nos levam a outras ilhas, mas nao eh por isso que formamos um continente. um dia as pontes enferrujam, quebram, caem. e la estamos nos de novo.. ilhas.

Dani e CM disse...

Taty
Negocio é foi tanto papel, mas tanto papel...que a gente se perdeu no meio deles e só fez a primeira triagem!
Quanto a impressora...ja demos para alguem, jogos tbm, agora so falta o monitor que esta bem conservado (daquele modelo antigo) e colocamos pra vender por 40 reais...srssr

Tudo de bom

sueje.com disse...

Oi Taty...ontem eu e o Je tb assistimos "Norma" foi muito legal mesmo!!rs vamos sentir saudades destes programas lá no Canadá..nossa!Como o tempo voa..parece que foi ontem nosso encontro lá na palestra..tava lendo o seu perfil..tá explicado como a gente se gostou tanto,somos do mesmo signo!!!kkkk beijãoooo

Nê & Lelê disse...

Oie!!

Adorei o seu post, me identifiquei muito!! :-)

Bjinhuuss

Tatiana disse...

Olá! Valeu pelo comentário resposta hehhe na verdade auqele meu blog está abandonado hehe coitado hehe é que o que eu realmente escrevo deixo privado e eu não tive ainda tempo e digamos disposição para arrumar o outro com tudo que eu encontrei de pesquisas etc hehe porque no final, já lendo os blogs dos outros, isso já me deixa mega ansiosa heheh mas enfim ....
Você pretende imigrar para Québec ou para o resto do Canada?

leticia disse...

taty, nao sei se vc é que nem eu, masssssss... sofri muito quando tive que voltar e vi senti a maior falta das coisas que tinha vendido por impulso e achando que ia ficar lá. eu sei que esse comentario é bem oposto a intenção do post, mas tô falando só da minha experiencia, viu? hoje eu iria com mais calma na hora de me desfazer das coisas, deixaria algumas pra vender, dar ou doar somente depois que tivesse certeza absoluta que iria ficar por lá mesmo.
just my 2 cents :D

Neuzinha disse...

Oi Taty,

Realmente apego e desapego sao partes dificeis nas nossas vidas. Mas temos que aprecnder a lidar com essa realidade.
Mudar de pais, e ter que fazer um desapego total. Entao, e menos dolorido quando fazemos de forma gradativa.
Desejo um feliz desapego pra vc.


Bjim, Neuzinha